Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Moda e Beleza

by Cláudia Gusmão

Moda e Beleza

by Cláudia Gusmão

Qui | 06.09.18

COMO PARAR DE COMPRAR COISAS DESNECESSÁRIAS

20834635_4v5BI.jpeg

  Quem não gosta de fazer umas comprinhas, sobretudo se forem boas oportunidades? Mas quem também acaba por reparar que acumula coisas desnecessárias e acaba por desperdiçar dinheiro? Hoje espero dar algumas dicas para evitar que tal aconteça!

"It's not a good deal if you don't need it!"

  1. Não comprar se não for necessário. Como diz a frase acima, por melhor negócio que possa ser, se não é algo que precisamos e a que vamos dar realmente bastante uso, é desperdício de dinheiro comprar. A melhor forma de sabermos o que precisamos é fazer uma lista de compras, seja para roupa, cosméticos, livros, comida, etc. Com a roupa, por exemplo, podemos fazer uma lista à qual adicionamos coisas que precisamos à medida que sentimos falta delas e comprar apenas essas quando tivermos possibilidade. 
  2. Não comprar em promoção se não comprariamos a preço normal. Eu defendo sempre que é preferível esperar por uma promoção e comprar uma peça de roupa ou um cosmético - por exemplo - com mais qualidade pelo preço que habitualmente se pagaria por um pior - e que talvez não teriamos possibilidade de comprar a preço normal -, mas convém não comprar algo só porque é barato e no qual não pensariamos investir a preço normal (mesmo que tivessemos essa possibilidade).
  3. Não comprar se não houver espaço para arrumar. Pode ser um móvel muito bonito ou uma peça de roupa fantástica ou até o melhor livro dos últimos tempos... mas se não temos espaço em casa na verdade não precisamos de nada mais! A nossa casa é um espaço para viver e não um espaço de arrumação, devemos evitar enchê-la de tralhas!
  4. Não comprar se não é exatamente o que se procura. Por vezes procuramos uma peça ou um produto e acabamos por comprar outra opção diferente da que queriamos, ou porque era mais barato ou porque não queriamos procurar mais, mas na maioria das vezes a longo prazo se não é exatamente o que procuravamos, acabamos por não dar utilidade ou por pôr de lado mais depressa. E, claro, não comprar se não servir.
  5. Fazer um orçamento. Se no início de cada mês definirmos o dinheiro que podemos gastar em cada categoria - roupa, cosméticos, comida, etc etc - e respeitarmos esse orçamento, é muito menos provável acabarmos a comprar coisas desnecessárias, já que teremos de ser mais conscientes do dinheiro que estamos a investir e analisar se realmente valerá a pena. Basta fazer o orçamento, separar o dinheiro em envelopes por exemplo, e nunca gastar mais do que o que está no envelope. Nos primeiros meses pode ser mais difícil e podemos sentir a tentação de não respeitar o valor orçamentado, mas se formos restritos connosco próprios - como método de melhoria pessoal - ao fim de algum tempo torna-se orgânico.
  6. Cuidado com as newsletters publicitárias. Há newsletters publicitárias que me são úteis e me permitem poupar dinheiro em compras que faço regularmente - como por exemplo alimentação para os meus cães, cosméticos que termino com frequência, as promoções da semana no supermercado, etc - mas a verdade é que algumas newsletters só nos incentivam a comprar o que não precisamos, ou porque vemos algo que nos apaixona ou porque aquele cupão de desconto é bom demais para resistir. Confesso que acabei por cancelar a maioria das minhas subscrições, por forma a evitar tentações desnecessárias.
  7. Cuidado com a influência das influencers - passo a redundância. O termo influencers está muito na berra hoje em dia, mas a verdade é que seguirmos blogs ou vermos publicações nas redes sociais nos pode incentivar a comprar mais. Obviamente eu própria partilho as minhas compras e recomendo produtos que gosto, mas todos temos que decidir aquilo que nos faz falta e onde queremos investir o nosso dinheiro. Se eu estou a falar de um batom vermelho mas vocês já têm uma dúzia, certamente não precisam de mais um! No entanto, se andam há algum tempo à procura de um batom vermelho, a minha recomendação pode ser útil e evitar que desperdicem dinheiro a experimentar vários diferentes, por exemplo! E sigam sempre pessoas em quem confiam ou que já vos deram boas recomendações, ao invés de quem só faz publicidade.
  8. Os passeios no shopping são de evitar! Há pessoas que não têm impulso ou desejo de comprar e até podem passar um dia inteiro no shopping sem ter a mínima vontade de comprar alguma coisa. Outras pessoas, no entanto, não resistem à tentação de comprar pelo menos uma coisinha. Se não formos ao shopping ou não espreitarmos as lojas online, evitamos ficar nessa situação. E na maioria das vezes são coisas que não precisamos, acabamos por comprar por impulso e provavelmente não damos grande utilidade. É preferível ir ao shopping com intenção, quando realmente precisamos ou procuramos alguma coisa. E convém evitar a companhia de quem nos incentiva a gastar ahah! PS - se a vossa tentação for o supermercado - é onde a maioria das pessoas dá cabo do orçamento - façam tudo por ir apenas uma vez por semana com uma lista de compras e respeitem-na! Fazer um menu de refeições para a semana é uma forma de se saber tudo o que se vai precisar e evitar compras desnecessárias.
  9. Comprar com qualidade. Esta dica encaixa-se um pouco em dicas que já dei anteriormente e está mais sujeita a alguns tópicos em específico, mas se investirmos por exemplo em roupa com mais qualidade, as peças vão durar mais tempo, interrompendo o ciclo de comprar e deitar fora constantemente, que é tão mau para o ambiente, e ao mesmo tempo evitando a vontade de comprar constantemente, já que encaramos cada compra como um investimento. Além disso, muitas lojas - como os Chineses, por exemplo - têm a fama de ser baratas, mas se realmente compararem nem sempre são muito mais baratas que outras lojas com melhor qualidade. Uma das melhores formas de avaliar a qualidade de uma peça é aprender um pouco sobre tecidos, cortes, costuras, método de fabrico, etc, de que hoje em dia encontramos muita  informação online.
  10. Pensar cada compra como horas de trabalho. Se ao invés de olharmos para um produto como meramente custando 15 ou 20 euros, pensarmos quantas horas de trabalho implicam pagar esse valor, é uma excelente forma de pôr todas as compras em prespectiva e avaliar se realmente vale a pena. "Esta camisola vale 4 horas de trabalho?"
  11. Fazer desafios "no spend". Se procurarem pelo YouTube certamente vão encontrar pessoas a falar sobre desafios que fizeram a elas próprias para não fazerem compras durante uma semana, um mês... ou até um ano. Acabam por dar muito uso a tudo o que já têm, esvaziam a despensa, criam algumas poupanças e também novos hábitos de consumo. Algumas pessoas fazem até desafios entre si, para ver quem consegue passar mais tempo sem comprar nada ahah!
  12. Criar um roupeiro ou kit de maquilhagem cápsula. Quando criamos uma cápsula, assumimos que essas peças ou produtos são tudo o que precisamos para determinado período de tempo e não compramos nada durante esse período de tempo. Existem diferentes variações dentro de uma cápsula, sendo que para roupa por exemplo, há quem faça o Project 3x33, onde usam 33 peças de roupa durante 3 meses (1 estação), outras pessoas o 10x10 onde usam apenas 10 peças de roupa em 10 dias, etc, claro que cada um pode personalizar como for mais realista e conveniente.
  13. One in, one out. Cada vez que um novo produto entra em casa, outro tem que sair. Claro que isto não se aplica a produtos consumíveis - que naturalmente já compramos à medida que precisamos - mas se quisermos comprar um novo vestido, um novo batom, um novo livro, etc, outro da mesma categoria terá que sair de nossa casa. Isto serve para avaliar se levar esse novo produto para casa vale a substituição de outro que já temos ou se preferimos ficar com o que temos, obrigando-nos a refletir sobre a compra.
  14. Fazer uma lista do que é mais importante. Se queremos viajar, se queremos poupar para dar entrada numa casa, se precisamos de um carro, etc, essas coisas são uma prioridade e um local onde provavelmente preferimos investir o nosso dinheiro. Ter essa ideia em mente, ou até um papel colado na carteira, ajuda a evitar desperdiçar dinheiro no que não é importante.

Gostaram destas dicas? Quais vos ajudam mais?

8 comentários

Comentar post