Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Moda e Beleza

by Cláudia Gusmão

Moda e Beleza

by Cláudia Gusmão

RETINOL VS TRETINOÍNA

tretinoinavsretinol.jpg

 A pergunta que provavelmente recebo com mais frequência em relação aos cuidados de pele é: mas qual é a diferença entre retinol e tretinoína? Algumas pessoas pensam que é o mesmo, outras perguntam-se porque uns precisam de receita e outros não e há ainda quem se questione o porquê de tamanha diferença de preço. Assim, espero hoje responder a essas questões! Confesso que este post está um pouco químico, mas acho que é essencial para conseguir transmitir a informação que precisam para decidirem o que é melhor para o vosso caso.

 Tanto o retinol como a tretinoína são formas de vitamina A. A tretinoína, ou ácido retinóico, é um metabolito ativo da vitamina A e existem recetores específicos para o ácido retinóico nas células (o ácido retinóico é a forma biologicamente ativa da vitamina A), pelo que esta será a formulação mais potente. A pele recebe o ácido retinóico, ele é imediatamente identificado pelas células e começa a desempenhar a sua função. Isto significa que é mais eficaz, mas também que pode ter mais efeitos secundários, como irritação, secura, descamação, etc. A tretinoína é usada, por exemplo, no tratamento de acne, melasma, fotoenvelhecimento e estrias e é considerada uma medicação, pelo que precisa de receita médica. O ácido retinóico é também o único componente cientificamente comprovado capaz de reverter os efeitos do envelhecimento (atenção que eu disse reverter e não prevenir, pois existem vários ingredientes que previnem o envelhecimento mas não o revertem)! Um dos produtos mais conhecidos no mercado é o Ketrel, que é ácido retinóico a 0,05% e custa 2,89€ (30g). Há também alguns médicos que recomendam o Isotrex, que é isotretinoína - tretinoína e isotretinoína são interconversíveis, a isotretioína é mais usada para acne enquanto a tretinoína é usada para acne e para os outros problemas referidos.

 O retinol é um derivado da vitamina A na forma livre não esterificada e tem de ser convertido pelo organismo em ácido retinóico, visto essa ser a forma biologicamente ativa. É uma conversão em 2 fases, sendo que o retinol é convertido para retinoaldeído (reação reversível) e o retinoaldeído é convertido a ácido retinóico (reação irreversível). Não só a própria conversão é um processo que requer atividade do organismo - que está mais preocupado em realizar as reações que nos mantêm vivos - mas, como a primeira reação é reversível, nem todo o retinol é convertido em ácido retinóico, já que parte do retinoaldeído volta à forma de retinol. Resumidamente, o retinol é menos eficaz ou, pelo menos, demora mais tempo a mostrar resultados.

 O retinol puro é a forma mais potente do retinol, mas é facilmente oxidado pelo calor e pela luz, pelo que a maioria das formulações cosméticas usam palmitato de retinol (forma esterificada), que tem maior estabilidade mas também menor absorção por parte da pele. Outra tecnologia que tem vindo a ser desenvolvida é o retinol encapsulado, em que o retinol é distribuído em lipossomas, o que se pensa torná-lo mais estável durante o transporte para os recetores. Há também algumas marcas que já tentam formular produtos com retinaldeído - vulgarmente referido como retinal - visto ser apenas uma etapa de conversão e por isso seria mais eficaz, mas tem havido problemas de estabilidade das fórmulas. Como podem imaginar, todas estas variáveis vão influenciar o preço e a eficácia do produto de retinol que escolherem, sendo que alguns bem formulados podem ser bastante eficazes e outros podem nem fazer qualquer diferença na pele. A grande vantagem do retinol é que é menos agressivo para a pele (menos efeitos secundários), e por isso melhor tolerado pela maioria das pessoas, que não se conseguem adaptar ao uso da tretinoína.

 A tretinoína, por ser uma medicação, é regulada pelo Infarmed, pelo que as concentrações de ingredientes bem como os seus resultados estão bem documentados e têm de ser garantidos. Já o retinol, por ser usado em produtos cosméticos, não está regulado e os resultados - como puderam perceber pelo parágrafo anterior - dependem muito da formulação de cada marca. Qualquer produto cosmético que tenha a menor % de retinol, mesmo que na forma menos potente ou estável, pode dizer que é formulado com retinol, isso não quer dizer que seja eficaz.

 

DEVO USAR TRETINOÍNA OU RETINOL?

 Acho que depois de toda a explicação esta pergunta ainda vos está a fazer confusão. Mas a verdade é que eu não posso ter uma resposta preto no branco para vocês. Tudo depende daquilo que pretendem e de como a vossa pele reage. Vou tentar resumir:

  • A tretinoína é super potente e mostra resultados em pouco tempo, sendo muito indicada para tratamentos como acne, melasma, manchas de idade, manchas/cicatrizes de acne, etc. Tem um preço bastante acessível mas precisa de receita e a habituação ao tratamento não é fácil, podendo ter alguns efeitos secundários;
  • O retinol é menos potente e por isso mais recomendado para prevenção do envelhecimento, manutenção dos resultados obtidos com a tretinoína, pequenas manchas, etc. O preço é habitualmente muito mais elevado para se conseguir uma boa formulação, mas não precisa de receita médica e tem menos efeitos secundários.

 No entanto, qualquer um dos ingredientes pode ser usado para qualquer uma das situações. Se a vossa pele se adaptar bem à tretinoína (demora uns meses), podem até continuar a usá-la como manutenção dos resultados e prevenção do envelhecimento literalmente para sempre. No entanto, se a vossa pele não se adaptar à tretinoína ou vocês não a conseguirem utilizar regularmente (mínimo 1x por semana, idealmente 3x a 6x por semana), talvez o retinol vos mostre melhores resultados se for bem formulado e o conseguirem utilizar diariamente. Certamente que um produto bem formulado que aplicamos diariamente vai mostrar mais resultados do que um que raramente conseguimos usar!

 Relembro que nenhum destes ingredientes dever ser usado durante a gravidez/aleitamento e que devem SEMPRE utilizar proteção solar (mínimo fator 30, ideal fator 50) quando utilizam retinol ou tretinoína, bem como respeitar outras regras essenciais, como não combinar tretinoína com ácidos ou utilizar sempre um bom hidratante e um gel de limpeza suave. Se quiserem ver mais algumas dicas fundamentais, convido-vos a verem este vídeo.

 

QUE PRODUTO DEVO ESCOLHER?

 Em termos de produtos que recomendo, já referi o Ketrel (Vitanol-A no Brasil) como sendo a tretinoína mais recomendada, que podem comprar com receita em qualquer farmácia por 2,89€ (a receita pode ser do médico de família, não tem de ser do dermatologista).  Para produtos com retinol, aqui vos deixo as minhas (escassas) sugestões, visto que a formulação é tão importante, poucos são os produtos que realmente me sinto à vontade para recomendar:

  •  La Roche Posay Redermic R Intensivo (aprox 28€, 30ml, aqui): este é um dos poucos produtos no mercado formulado com retinol puro - daí a embalagem, visto o retinol puro ser instável. Tem também retinol de libertação prolongada e é uma das opções mais baratas e mais eficazes do mercado. Existem vários produtos dentro da linha Redermic, mas o Redermic R Intensivo é mesmo o mais eficaz.
  • Sesderma Reti Age Sérum (aprox 49€, 30ml, aqui): este sérum tem retinol encapsulado em lipossomas, que asseguram o transporte do ingrediente, mas é o verdadeiro sérum de prevenção do envelhecimento, visto que combina o retinol com ácido hialurónico, vitamina C e vitamina E (todos ingredientes comprovadamente benéficos para a pele). Combinar estes ingredientes e obter uma fórmula estável não é fácil, muito menos com uma embalagem que expõe o produto ao ar, mas a Sesderma fez um bom trabalho. Este sérum será certamente mais de prevenção do que correção, visto as concentrações presentes - devido ao que referi anteriormente - poderem não ser suficientemente altas para correcção.
  • SkinCeuticals Correct Retinol 0.3 Sérum (aprox 78€, 30ml, aqui): este é o outro produto disponível no mercado formulado com retinol puro e na concentração mais alta permitida na Europa. Este é o produto mais próximo da tretinoína que podemos conseguir sem receita médica.

 Existem mais produtos no mercado, tanto mais caros como mais baratos. Honestamente acho que não há necessidade de ir para produtos mais caros, quando os acima referidos são eficazes. Seria bom conseguir algo mais barato, mas confesso que ainda não experimentei nenhum mais barato que o Redermic R que funcionasse para mim.

 Quero chamar a atenção para darem mais valor aos ingredientes de um produto do que à descrição do mesmo. Um mesmo produto com retinol pode ser chamado de "creme anti-rugas intensivo", "creme anti-manchas", "creme para acne", etc, pois como já vimos neste post o retinol pode atuar em vários problemas e ter vários benefícios. O que interessa é a composição do produto!

 

COMO DEVO USAR?

 Tanto o retinol como a tretinoína devem ser aplicados à noite, na pele limpa e bem seca. Os produtos em creme, como o Ketrel ou o Redermic R podem ser aplicados sozinhos, mas os produtos em sérum, como o Reti Age ou o Correct Retinol 0.3, devem ser aplicados antes de um hidratante básico, como este ou este, que deve ser composto apenas por ingredientes hidratantes (sem ácidos ou outros ingredientes ativos que possam interferir com a tretinoína/retinol). É essencial nunca esquecer a aplicação do protetor solar de manhã, pois a pele fica mais sensível ao sol! A restante rotina de pele deve ser relativamente simples, apostando sobretudo na hidratação e proteção.

 Existem alguns produtos formulados com retinol que podem ser aplicados durante o dia, mas a concentração de retinol é bastante baixa, pelo que é melhor investimento apostar num produto mais concentrado e utilizá-lo apenas à noite.

 O ideal seria aplicar diariamente, mas quando se começa as aplicações devem ser espassadas, sobretudo com a tretinoína. Usar 1x/semana na primeira semana, depois passar a 2x/semana e aos poucos tentar utilizar diariamente. Eu, por exemplo, consigo agora aplicar um retinol diariamente, mas a tretinoína não aplico mais que dia sim dia não, para evitar irritação, e já a uso há dois anos.

 É importante aplicar uma pequena quantidade de produto, talvez o equivalente a uma ervilha, apenas suficiente para cobrir a área de tratamento. Aplicar mais produto não aumenta a eficácia, só aumenta a irritação e o desperdício.

 

Portanto, depois deste testamento, penso que respondi a todas as questões que recebo com mais frequência, mas se tiverem mais alguma por favor deixem nos comentários :)

REVIEW | SKINCEUTICALS BLEMISH + AGE DEFENSE

blemishage.jpg

 Este é um dos reviews mais pedidos de sempre: o do sérum Blemish + Age Defense da SkinCeuticals. E eu compreendo as razões! "Namorei-o" durante muito tempo antes de me decidir a comprar, por não ter a certeza se valeria o investimento, pelo que espero hoje esclarecer essa dúvida para vocês.

 Como já referi anteriormente, a SkinCeuticals é uma linha de cuidados médicos de pele, com muita investigação científica por detrás de cada produto, e onde as concentrações dos ingredientes utilizados são as máximas permitidas sem que seja necessária receita médica.

 O Blemish + Age Defense é um sérum corretor para peles acneicas que promete ser tão eficaz como os líderes de prescrição (peróxido de benzoílo e tretinoína) no combate ao acne e ainda ajuda a diminuir rídulas e rugas (função também desempenhada habitualmente pela tretinoína).

 Assim, na sua composição encontramos os seguintes ingredientes:

  • Ácido dioico - diminui a produção de sebo, reduz a atividade da bactéria P.acnes e previne a formação de manchas pós-inflamatórias;
  • LHA - esfolia a pele, desobstrui os poros e reduz as rídulas;
  • Ácido salicílico - desobstrui os poros e diminui as imperfeições;
  • Ácido glicólico - elimina as células mortas e melhora a textura e hidratação da pele;
  • Ácidos cítricos - ajudam a esfoliar a pele e a eliminar os sinais de envelhecimento.

 Como podem ver este sérum é um verdadeiro cocktail de ingredientes, sendo um produto muito completo. O produto em si tem uma textura tipo água, pelo que não deixa as peles oleosas com uma sensação gordurosa e a embalagem protege o produto da luz solar, além de facilitar o controlo da quantidade aplicada, por ser uma pipeta. A aplicação pode ser feita uma a duas vezes por dia, sendo que de manhã deve ser aplicado depois do sérum de vitamina C e antes do hidratante e à noite deve ser aplicado depois do tónico e antes do hidratante. Se tiverem a pele sensível não recomendo utilizarem mais do que uma vez por dia. Ele tem uma textura muito líquida, pelo que eu coloco 4/5 gotas na palma da mão, toco ligeiramente com uma palma na outra para distribuir o produto e depois aplico-o no rosto pressionando as palmas das mãos contra a pele, ao invés de esfregar. A aplicação deve ser rápida para evitar a evaporação do produto.

 Ele não causa tanta irritação/sensibilidade na pele como a tretinoína ou (especialmente) o peróxido de benzoílo, mas os resultados também podem demorar um pouco mais a aparecer (a marca indica cerca de 8 semanas). Nas primeiras semanas de utilização não notei grandes diferenças na pele mas na terceira semana comecei a reparar que diminuia as borbulhas, especialmente as mais inflamadas. Ainda assim, não noto que a eficácia seja maior do que a do tratamento que já faço há muito tempo com tretinoína - que custa apenas 2,69€ - pelo que eu recomendaria o Blemish + Age Defense nos seguintes casos:

  • Para quem não pode (ou não quer) comprar um produto com prescrição médica;
  • Para quem tem alergia ou intolerância à tretinoína e/ou ao peróxido de benzoílo;
  • Como opção de Verão, já este produto não é tão sensibilizante para a pele, embora tal não dispense a utilização de SPF50;
  • Para quem prefere mais cosmeticidade nos produtos (textura, aplicação, etc), já que os produtos de prescrição são mais como medicação e não tanto como cosmético.

 Nos restantes casos  penso que se pode combinar perfeitamente eficácia e preço recorrendo a um produto de prescrição médica. Devo relembrar que se estiverem interessadas tanto no combate ao acne como na prevenção do envelhecimento, a melhor opção é a tretinoína (ex: Kétrel), que desempenha ambas as funções. No entanto, qualquer produto de prescrição deve ser recomendado pelo médico de acordo com as necessidades específicas.

 Já sei que me vão perguntar: posso utilizar este produto ao mesmo tempo que uso tretinoína? Sim, mas nesse caso este produto deve ser usado de manhã e a tretinoína à noite. No entanto, habitualmente apenas um dos tratamentos é suficiente, a não ser que tenham acne muito severo e resistente.

 As meninas que estiverem interessadas encontram este sérum aqui ou em farmácias selecionadas por cerca de 80€ (30ml). Se utilizarem 4 gotas a cada aplicação ele irá durar-vos cerca de 3 meses se aplicarem duas vezes ao dia ou cerca de 6 meses se aplicarem uma vez ao dia. Este é dos produtos de venda livre mais eficazes contra o acne, pelo que se se enquadrem num dos parâmetros que referi acho que vale a pena o investimento!

 Quero aproveitar este post para relembrar algo: quem tem pele acneica vai ter sempre pele acneica. Ou seja, se têm acne ativo terão de fazer um tratamento para o mesmo, mas mesmo depois de ele estar tratado devem continuar a ter os cuidados necessários indicados para a pele acneica, de forma a prevenir o reaparecimento!

COMO ESCOLHER O PROTETOR SOLAR?

DSC05079.jpg

 Utilizar protetor sola diariamente - mesmo quando está nublado - é essencial. Aliás, quando alguém me diz que só pode comprar um produto para cuidar da pele a minha resposta é "compra um protetor solar". Quanto mais cedo começarmos mais danos evitamos, não só pela dor que um escaldão provoca, mas também pelos danos celulares causados pelos raios solares, como envelhecimento, danos no ADN, cancro, etc. Existem dois tipos de radiação das quais temos que defender a pele:

  • UVB - causam os escaldões e contribuem para o cancro da pele. São mais fracos no Inverno e nas alturas de menor calor, daí existirem as horas mais e menos perigosas para frequentar a praia, por exemplo;
  • UVA - penetram mais profundamente na pele e não só causam cancro, como também envelhecimento da pele, manchas, etc. Têm sempre a mesma intensidade, seja qual for a estação do ano e a hora do dia, passam por nuvens e vidros (daí que estar no interior não protege) e refletem na água. A única forma de nos protegermos destes raios é com um protetor solar!

 O fator de protecção solar indicado na embalagem (30, 50, etc) indica a proteção contra os raios UVB, mas o protetor deve ter a indicação de que protege também contra os UVA. Nunca nos conseguimos proteger a 100%, mas toda a proteção que for possível ter é bem vinda, certo? Segundo as referências que li, um SPF30 protege contra cerca de 95% dos raios e um SPF50 cerca de 98%. Para conseguirmos a proteção indicada devemos aplicar, para rosto e pescoço, cerca de meia colher de chá de produto.

 Existem sobretudo dois tipos de protetores solares:

  • Minerais (ou físicos): são utilizados minerais, óxido de zinco e dióxido de titânio, que ficam à superfície da pele e refletem os raios (tipo escudo). São mais indicados para peles sensíveis ou intolerantes, já que não são absorvidos e causam menos irritação;
  • Químicos: são combinações de ingredientes que penetram na pele e absorvem a radiação. À medida que a absorção ocorre os ingredientes vão perdendo eficácia, daí a reaplicação frequente ser necessária. Um único ingrediente não cobre todos os raios, daí se combinarem vários para produzir um protetor eficaz.

 Atualmente já existem protetores híbridos, que são uma mistura de ambas as tecnologias e que cada vez mais substituem os protetores 100% químicos. Os protetores minerais tendem a ficar mais brancos e/ou oleosos quando aplicados na quantidade necessária, mas hoje em dia já se utiliza a nanotecnologia para produzir protetores minerais cada vez mais fluidos e fáceis de aplicar. É importante verificar que um protetor mineral tenha sempre óxido de zinco na composição, pois só ele protege dos raios UVA longos!

 Escolher o protetor solar ideal nem sempre é fácil e pode requerer várias tentativas. É importante relembrar que pessoas com a pele oleosa e/ou acneica devem escolher texturas fluidas ou em gel e não comedogénicas e quem tem a pele seca deve optar por cremes ou emulsões. Quem tiver a pele sensível deve verificar que o protetor não tem perfume e é hipoalergénico. Já existem emulsões não comedogénicas, que são boas para quem tiver a pele sensibilizada por tratamentos de acne. Aqui ficam algumas sugestões:

  • SkinCeuticals Sheer Mineral UV Defense SPF50 (aprox 33€, 50ml, aqui). Este é um protetor 100% mineral super fluido, sem parabenos e resistente à água, com acabamento mate. É a minha escolha de momento, fica muito leve na pele!
  • SkinCeuticals Ultra Facial Defense SPF50 (aprox 30€, 30ml, aqui). Este protetor é híbrido, pois combina filtros químicos com dióxido de titânio. Contém glicerina, pelo que é bastante hidratante e atua como um primer para a maquilhagem.
  • Avène Emulsão Sem Perfume SPF50+ (aprox 13€, 50ml, aqui). Esta emulsão combina filtros químicos com dióxido de titânio, não tem perfume, não é comedogénico e é hipoalergénico, sendo indicado para peles sensíveis mistas a oleosas. É apropriado para quem esteja a fazer tratamentos com ingredientes irritantes, como retinóides ou peróxido de benzoílo, por exemplo.
  • La Roche Posay Anthélios XL SPF50+ Fluido Extremo (aprox 14€, 50ml, aqui). Este é um protetor solar químico com uma textura super fluida, sem perfume e não comedogénico e está indicado para peles mistas a oleosas. Ao aplicarem um protetor deste género tentem fazê-lo com toques ao invés de esfregar, para que não esfarele.
  • La Roche Posay Anthélios XL SPF50+ Creme Conforto (aprox 16€, 50ml, aqui). Este protetor é a mesma versão do anterior, mas indicado para peles normais a secas!
  • Isdin Foto Ultra Age Repair Fluid SPF50+ (aprox 30€, 50ml, aqui). Este é um protetor químico que está enriquecido com péptidos, sendo especialmente indicado para peles maduras e envelhecidas, pois promove a produção de colagénio e ajuda na reparação dos danos celulares.
  • Heliocare Advanced Gel SPF50 (aprox 32€, 50ml, aqui). Este é um dos protetores mais completos disponíveis no mercado, que combina os filtros solares físicos e químicos com agentes antioxidantes e filtros fitobiológicos, que inativam os radicais livres. Não tem óleo e não é comedogénico, estando indicado para peles mistas a oleosas e/ou acneicas. Existe também a versão em creme, para peles secas e a versão matificante com ativos seborreguladores, para peles muito oleosas e acneicas.
  • Hyseke Solar Emulsão SPF50 (aprox 17€, 40ml, aqui). Esta emulsão tem uma textura ligeira e ativos seborreguladores e anti-irritantes, estando indicada para peles mistas a oleosas, com tendência acneica e irritadas por tratamentos agressivos. É não comedogénico e hipoalergénico.
  • Avène Creme Mineral SPF50+ (aprox 15€, 50ml, aqui). Protetor solar mineral enriquecido com antioxidantes. Tem uma textura não gordurosa, sem perfume, hipoalergénica e não comedogénica e está especialmente indicado para peles alérgicas. Apto para bebés e crianças.

 Para reaplicar o protetor ao longo do dia quando se tem maquilhagem, as melhores opções são as brumas (como esta) e os pós com proteção solar (como este ou este), que não invalidam a utilização diária de um protetor "normal". É importante escolher um protetor solar específico, ao invés de produtos com várias funções (ex: BBs, CCs, etc), pois as fórmulas são mais estáveis e eficazes.

  As mãos também sofrem bastante com o sol e devem ser protegidas! Pode ser aplicado o protetor solar habitual ou um creme de mãos com proteção solar (como esteeste ou este).

Se tiverem alguma dúvida por favor deixem um comentário e eu tentarei responder!

Qual é o vosso protetor favorito?

DEVO MESMO USAR CREME DE OLHOS?

cremesdeolhos.jpg

  Tenho a certeza que já alguma vez se perguntaram se usar um creme de olhos será mesmo essencial, afinal se usamos um creme para o rosto, ele não serve também para os olhos? Ainda por cima o creme de olhos é caro para a quantidade de produto que tem...

 Bem a resposta a esta pergunta é sim, um creme de olhos é essencial na rotina de pele! A pele da zona ocular é muito mais fina do que a pele do rosto e tem também menos elasticidade. Visto que usamos os músculos oculares milhares de vezes por dia, associando ao facto de a pele ser fina e ter menos elasticidade, podemos facilmente concluir que esta é a primeira zona a mostrar sinais de envelhecimento. Tendo ainda em conta que a zona ocular não possui glândulas sebáceas, temos que garantir a sua correcta hidratação!

 É óbvio que queremos as mesmas propriedades anti-envelhecimento dos cremes que usamos no rosto para a zona ocular, mas a formulação dos produtos tem de ser diferente para cada zona, pois alguns produtos podem ser demasiado agressivos para a delicada pele dos olhos. Além disso, alguns dos problemas apresentados na zona ocular são diferentes do resto do rosto e precisam, por isso mesmo, de ingredientes diferentes. A cafeína, por exemplo, é um ingrediente muito utilizado nos cremes de olhos para combater os papos e as olheiras e que não se encontra num creme de rosto. Também a textura dos cremes de olhos deve ser mais leve do que a de um creme de rosto, de forma a que o produto consiga penetrar numa zona com poros tão minúsculos, mas também para que não cause mília.

 O creme de olhos é dos primeiros produtos que devemos introduzir na nossa rotina anti-envelhecimento - eu comecei a usar com cerca de 13 anos, altura em que comecei a ser seguida por uma dermatologista devido ao acne - e que tem, sobretudo, um papel preventivo. Existem cremes de olhos formulados para diferentes idades e necessidades, permitindo prevenir o envelhecimento, melhorar o aspecto da zona ocular e evitar que qualquer problema já existente piore. É importante escolher um creme de olhos que responda às nossas necessidades específicas e que tenha ingredientes de boa qualidade, já que alguns produtos apenas mascaram o problema, mas não o resolvem!

 Para as meninas mais novinhas, o essencial é usar um creme de olhos que tenha capacidade hidratante (como este ou este). Quando nos começamos a preocupar com as primeiras rugas - lá para os 18/19 anos - torna-se importante investir nos cremes com antioxidantes, ácido hialurónico e alguns ingredientes anti-envelhecimento (como esteeste ou este). Numa pele mais madura será interessante procurar cremes com retinol e/ou factores de crescimento, além dos antioxidantes (como este), por exemplo. Quem tenha bastantes papos e olheiras deve confirmar se o creme de olhos tem ingredientes como a cafeína, haloxil e/ou micro-partículas de pérola, por exemplo, que ajudam a descongestionar e iluminar o olhar.

 Apesar de o creme de olhos ser um investimento, pode realmente fazer toda a diferença!

A Blogger

Cláudia, biomédica de dia e blogger de noite! Bem-vinda(o) ao meu cantinho!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pinterest

YouTube

Instagram

@claudiagusmao

Facebook

Lojas

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D