Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Moda e Beleza

by Cláudia Gusmão

Moda e Beleza

by Cláudia Gusmão

Especial em Forma #42 - Pele do corpo saudável e bonita

Agora que o tempo bom parece ter vindo para ficar, a pele do corpo começa a ficar mais exposta e há cuidados básicos que são extremamente necessários para que a pele se mantenha saudável e radiosa e outros que, apesar de não serem essenciais, também podem ser uma grande ajuda.
1) Exercício Físico. A prática regular de exercício físico permite que a pele fique mais tonificada e firme e com um aspecto mais uniforme. Também permite ao corpo expulsar toxinas, tornando a pele mais radiante.
2) Protecção Solar e Hidratação. Hidratar a pele diariamente é fundamental para conseguir uma pele saudável, sem estrias e hidratada. Também é essencial proteger a pele da radiação solar, desde a primeira exposição (pensem: a partir do momento em que começamos a andar de calções, tops, etc, a pele está exposta ao sol). Hoje em dia já há hidratantes diários com protecção solar incorporada, pelo que se torna muito fácil :)
3) Anti-celulítico. A pele com celulite e gordura localizada torna-se mais irregular e flácida, pelo que a utilização de um produto anti-celulite durante todo o ano pode ser essencial para controlar o problema. Se a pele tiver estrias também se deve utilizar um produto anti-estrias.
4) Esfoliação habitual. A esfoliação semanal do corpo, com um produto específico ou com uma mistura de mel e açúcar castanho, é essencial para remover células mortas e promover a elasticidade da pele, tornando-a também mais macia.
1- Palmer's Cocoa Butter Formula Body Lotion with SPF 15 (6,69€ aqui)
2- L'Oréal Paris Body Expertise Exfotonic Exfoliating & Revitalising Gel (9,75€ aqui)
3- Garnier Ambre Solaire No Streaks Bronzer Tinted Self-Tan Gel (12,19€ aqui)
4- Biotherm Celluli Laser High Precision Anti-Cellulite Night Care (46,25€ aqui)
5- Veet EasyGrip Ready-to-Use Wax Strips (8,31€ aqui)
 
5) Auto-bronzeamento. Quem gosta de estar moreno deve, preferencialmente, recorrer a um auto-bronzeador, seja em creme/spray/gel ou com um bronzeamento de instituto, em spray por exemplo. O bronzeamento ao sol ou em solários deve ser evitado ao máximo, uma vez que pode ter imensos malefícios para a pele e a saúde em geral.
6) Depilação regular. Os pêlos são bastante inestéticos e deixam também a pele com uma sensação áspera e irregular. Assim, é essencial manter a depilação em dia. Em breve farei um post inteiramente dedicado a este tópico :)
7) Alimentação. A alimentação é essencial para uma pele saudável, pelo que é importante beber mais de um litro de água por dia e comer bastante fruta e vegetais para que as células possam exercer a sua função em plenitude.
8) Tratamentos de instituto. Estes tratamentos não são essenciais nem obrigatórios, mas obviamente são uma excelente ajuda para manter a pele saudável. Hoje em dia também é possível encontrar imensas opções de tratamento por preços acessíveis em sites como o Clube Fashion.

Especial em Forma #41 - Trigo: inimigo?

Queridas peço desculpa de o post estar publicado mais tarde do que o habitual, mas tenho tido alguns problemas com a internet. O post de hoje é sobre o trigo, um cereal presente na alimentação da maioria de nós e que pode ter vários malefícios para a dieta ou a saúde em geral. Assim, hoje venho falar-vos um pouco sobre ele e procuro também saber a vossa opinião sobre este tópico :)
Os produtos com trigo são os que apresentam o maior índice glicémico. Este índice tem a ver com os níveis de açúcar no sangue e quanto mais alto for este nível, maior será a libertação de insulina pelo pâncreas, que tenta regularizar este nível de açúcar. Para além de o organismo não conseguir "queimar" valores tão altos de açúcar, que depois se vão depositar como gorduras, se uma pessoa consumir muito regularmente produtos com IG alto, o organismo vai criando resistência à insulina. Aqui surge um alerta para a diabetes!
Para além de elevar o índice glicémico, o trigo (actualmente altamente processado e muitas vezes geneticamente manipulado) contém gliadina, uma proteína que estimula o apetite. Assim, ao consumir trigo regularmente estamos sistematicamente a aumentar o apetite, produzindo quase um efeito opiáceo, que nos torna viciados na comida e nos impede de manter um peso normal. No caso de pessoas com problemas mentais, sabe-se também que o consumo regular de trigo pode aumentar a paranóia em esquizofrénicos, a obcessão por comida nos bulímicos e até a depressão.  Todos nós podemos vir a sofrer de problemas devidos ao consumo de trigo, tudo depende da reacção que temos ao mesmo com o passar do tempo.
Os doentes celíacos, com intolerância ao gluten, devem de todo evitar este alimento, visto ser rico em gluten. No entanto, eliminar o trigo não significa eliminar o gluten, quem não tem intolerância ao gluten não deve eliminá-lo, uma vez que os alimentos produzidos em substituição podem  ser ainda mais nocivos à saúde do que os que o contêm.
Sabe-se também que o trigo pode aumentar a inflamação do organismo e desregular as hormonas. Inflamação associada a hormonas "malucas" pode ser uma das principais causas do acne inflamatório, para além de contribuir também para o inchaço abdominal e prisão de ventre.
Por todos estes motivos é importante tentar evitar o trigo numa alimentação diária. Não é preciso deixar de consumir pão, por exemplo, basta trocar o pão de trigo por outro. O trigo está presente em muitos alimentos como pão, cereais, massas, comidas pré-feitas, etc, pelo que o ideal será ler sempre todos os rótulos antes de consumir. 
Quem quiser saber mais sobre este tópico pode ler o livro do Dr.William Davis, Cardiologista, que tem feito muita investigação nesta área. O livro chama-se "Sem Trigo, Sem Barriga" e está disponível aqui.

Especial em Forma #39 - Forma Corporal

Já por diversas vezes abordei este assunto por aqui. No entanto, acho que não faz mal nenhum falar sobre estas temáticas mais vezes. Hoje em dia todos vivem obcecados pela perfeição, por ter um corpo de sonho, magro, musculado, sem pingo de gordura e uma estrutura óssea digna de modelo. Infelizmente, todos temos estruturas corporais diferentes. Uns são mais estreitos, outros são mais largos, outros estão no intermédio. Na verdade, é um erro enorme querermos ser como alguém com uma estrutura corporal totalmente diferente da nossa. Não porque a outra forma não seja bonita, mas porque se a minha estrutura nada tem a ver com essa, nada vou alcançar senão frustração. Assim, o ideal é procurarmos alguém com uma estrutura corporal semelhante à nossa para nos inspirarmos.
Existem pessoas de estrutura larga com um peso muito saudável e um corpo atraente e outras, de estrutura muito estreita, que também são perfeitamente saudáveis. Assim, o que é mais importante? O número que se veste ou a saúde?
O mais importante é tentarmos estar em forma, dentro da nossa estrutura corporal. Se temos anca larga, se temo ombros largos, ou vice-versa, faz parte da nossa estrutura e não pode ser mudado. Assim, o ideal é tentarmos ser a melhor versão de nós próprios, com noção de que há coisas que não podemos mudar, e por isso temos de trabalhar no sentido de realçar aquilo que mais gostamos. Naturalmente, uma pessoa com uma estrutura estreita tem mais facilidade em ter uma forma física magra do que alguém com uma estrutura larga, bem como muitas vezes as pessoas com estruturas muito estreitas são acusadas de não serem saudáveis, o que nem sempre é verdade.
Penso que o importante é deixarmos de ter ideias feitas daquilo que é um corpo perfeito e tentarmos perceber como podemos tirar melhor partido do nosso próprio corpo. Hoje deixo-vos um exercício: olhem-se ao espelho e apontem 5 coisas que mais gostam em vocês. Depois, dediquem-se a realçá-las :)
Porque todas as raparigas são bonitas, não importa de que tamanho ou forma!

Especial em Forma #37 - Adeus celulite!

Olá minhas queridas! O post de hoje é sobre a temível celulite. Vários foram os posts que já fiz sobre esta inimiga nº1 de todas as mulheres, no entanto continuo a receber imensas questões, pelo que decidi fazer um post mais actualizado.
A celulite define-se por ondulações na pele causadas pelas alterações ocorridas no tecido gorduroso localizado por baixo da pele. A celulite tem diversas causas como a predisposição genética, factores hormonais, alimentação, vida sedentária ou problemas de circulação, daí não estar totalmente dependente do peso corporal. Obviamente que uma pessoa com excesso de peso (visto normalmente estas pessoas terem uma alimentação incorrecta ou uma vida sedentária) terá mais tendência a desenvolver celulite, também porque tem mais gordura.
É possível eliminar a celulite, equilibrando 3 factores: alimentação saudável, exercício físico e aplicação de um produto próprio. E é um cuidado para toda a vida, depois de se eliminar a celulite é importante continuar a preveni-la, visto que é daquelas amigas que aproveita qualquer ocasião para se instalar em nossa casa sem ser convidada. Muitas pessoas só se preocupam com a celulite quando chega o bom tempo e começamos a usar roupas leves, onde esta é mais notória, mas deve ser uma preocupação durante todo o ano, só assim é possível eliminá-la e prevenir que se instale de novo.
Na maioria dos casos a celulite instala-se nas coxas e anca, mas pode também estender-se à barriga e braços (as 3 zonas do corpo que tendem a reter mais gordura). A celulite pode afectar pessoas de todas as constituições físicas, tanto mais magrinhas como mais gordinhas. Por exemplo, raparigas que são magras por natureza e não têm de seguir uma alimentação saudável para o ser têm mais tendência a ter celulite do que as magras que seguem uma boa alimentação, uma vez que ingerem geralmente produtos mais calóricos e menos saudáveis.
Para combater a celulite é muito importante conjugar as 3 frentes já anteriormente referidas. Na área da alimentação os alimentos mais perigosos são os muito açucarados ou os que contêm gorduras saturadas. Uma alimentação rica em fibras, água e produtos frescos é essencial. Vê aqui e aqui a lista dos alimentos essenciais a uma alimentação saudável.
No que toca ao exercício físico, a componente cardiovascular (corrida, escadas, elíptica, caminhada, etc) é essencial para mandar embora esta inimiga, já que o cardio é o que permite queimar gordura do corpo. Na verdade, para a celulite começar a desaparecer temos de queimar pelo menos 20% da nossa gordura corporal (só a partir desse ponto se começam a notar resultados). Os treinadores dizem também que a zona do corpo onde temos mais tendência a acumular mais gordura (e, logo, a que terá mais celulite) é geralmente a última de onde se queima gordura, por isso é necessário esforço e trabalho. Os exercícios tonificantes localizados irão depois tonificar os músculos, impedindo a flacidez. É possível introduzir rotinas no dia-a-dia que ajudam a combater a celulite, como fazer as deslocações diárias a pé, usar as escadas em vez do elevador, manter sempre os músculos firmes, enfim. Deixo-vos uma sugestão de uma rotina de exercícios para quem normalmente usa a desculpa "aii mas eu não tenho tempo", para esta rotina só são precisos 5 minutos!
Por fim os tratamentos tópicos também são muito importantes. Ainda há o enorme mito de que os produtos para a celulite não funcionam, mas isso não é verdade. Eles não funcionam sozinhos ou se não forem usados correctamente. Se o produto for aplicado diariamente segundo as indicações do fabricante e for conjugado com uma boa alimentação e exercício irá certamente ajudar. Porque os anti-celulíticos são isso mesmo, uma ajuda, não é suposto fazerem o trabalho sozinhos. Uma pergunta que recebo imenso é acerca da aplicação. Os anti-celulíticos devem ser aplicados na pele limpa (ou seja, antes do hidratante) e com massagens ascendentes (do joelho para a anca) exercendo alguma pressão, de forma a  ajudar a drenar a zona. No Verão, quando se passa muito tempo na água, prefiro um produto que seja de apenas uma aplicação diária e aplico-o à noite, depois do duche, de forma a que tenha tempo de ser absorvido. Ainda assim o ideal é utilizar de manhã e à noite.
Os produtos podem actuar de diferentes formas consoante os seus componentes activos. Normalmente produtos que contenham cafeína, chá verde, centelha e outras algas são os que mostram mais resultados. Deixo-vos uma selecção de produtos que já utilizei ao longo dos anos e gostei bastante. Não irei falar em detalhe de cada um deles porque iria tornar o post demasiado longo, mas alguns deles já têm review no blog (ou falei deles em vídeos de favoritos/produtos que terminei) e outros terão futuramente.
1. L'Oréal Paris Perfect Slim Dia&Noite (16€ cada em hipermercados)
2. ROC Anti-celulite Micro-actif (40€ em farmácias)
3. Depuralina Celulite Barriga&Coxas (35€ aqui ou 25€ aqui)
4. Trimgel Slim 3D (40€ aqui)
5. Elancyl Cellu Slim (32€ aqui)
6. Yves Rocher Minceur Intensive Triple Action (14€ aqui - catálogo actual)
7. Vichy Cellu Destock (20€ aqui)
 
Massajar bem a pele é essencial para conseguir bons resultados. Assim, se não tiveres muito jeito para massajar o ideal é comprares uma escova de massagem, como esta, que deves usar antes de aplicar o produto. Também é extremamente importante esfoliar a pele regularmente, com um esfoliante tonificante ou com uma luva de crina. Há, depois, tratamentos e Instituto, como a Drenagem Linfática, a Pressoterapia, entre outros, que te podem ajudar a reduzir centímetros e eliminar a celulite mais rapidamente, a maioria das celebridades fazem-nos todo o ano para manter a figura esbelta. Cada vez há mais clínicas a oferecer bons preços e sites de oportunidades, como o Clube Fashion, onde se podem conseguir bons descontos para este tipo de tratamentos - pena não haver descontos para o interior do país.
 Combinando todos estes factores sim, é possível eliminar a celulite, mas não podemos esquecer que esta depende um pouco da carga genética de cada um também, tal como a tendência para engordar/emagrecer, por exemplo.

Especial em Forma #32 - Cuidados Pré-Mamã

Este é um tópico que, provavelmente, não será do interesse de todas as leitoras do blog, mas sei que algumas das minhas leitoras se preparam para ser mamãs, e pode também ser uma ajuda a qualquer outra pessoa, informação nunca é demais :) Quero desde já referir que este post não transmite qualquer experiência pessoal, é apenas o resultado da minha pesquisa sobre o tema.
Quando nos preparamos para trazer ao mundo um novo ser, muitas são as alterações que o corpo da mulher sofre e muitos são, também, os perigos que os bebés podem passar com o uso de determinados cosméticos. Assim, o post de hoje irá dar uma ajuda tanto no âmbito dos cuidados cosméticos, como de dieta e exercício.
Dieta e Exercício
A recém-mamã Diana Chaves referiu, recentemente, numa entrevista que "A gravidez é uma desculpa para as mulheres engordarem 20kg". Enquanto perceba a mensagem que ela quer transmitir, penso que a forma como o fez não é correcta. Algumas mulheres, sem tendência para engordar, poderão apenas ganhar o peso do bebé (e líquido amniótico) e mais meia dúzia de quilos, mas a verdade é que para as mulheres com mais tendência para engordar pode ser difícil controlar tão bem o peso que se ganha. O excesso de peso adquirido durante a gravidez pode, entre outros problemas, ser um dos causadores da Depressão Pós-Parto já que muitas mulheres, para além de toda a nova realidade que se instala com a chegada de um bebé, podem não se sentir felizes com o seu corpo e agravar os sintomas de depressão.
O ideal será, portanto, ter cuidados desde o início da gravidez. No que toca à alimentação, está provado que a Dieta Mediterrânica é das melhores para as futuras mamãs (podem ler mais sobre o tópico aqui), mas acho que o essencial é comer um pouco de tudo, evitando os alimentos especialmente alérgenos (podem ler mais sobre o tópico aqui) e evitando os exageros. Não, quando se está grávida não é preciso comer por dois, é preciso comer o essencial, mantendo a mesma ingestão calórica habitual e aumentando essa ingestão em 200 calorias diárias nos últimos 3 meses. Nos últimos 3 meses também é comum as grávidas sofrerem de azia e má digestão, pelo que é essencial ter especial atenção aos alimentos ingeridos. Pode também ser necessário tomar alguns suplementos nutricionais, pelo que aconselho a visita a um nutricionista de forma a obter algumas recomendações personalizadas.
Quanto ao exercício, é necessário desfazer o mito de que as grávidas não se podem exercitar. As grávidas podem, e devem, fazer exercício. Há exercícios básicos, como caminhar e nadar, que todas as futuras mamãs podem fazer diariamente (o que também ajuda a controlar o aumento do peso) e há depois exercícios específicos que podem fazer em casa e/ou no ginásio (em caso de dúvida, o melhor será consultar um Personal Trainer num ginásio). Deixo-vos um plano de exercícios para fazer em casa ou no ginásio até aos 6 meses de gravidez:
Outro factor muito importante é o pré-gravidez: se estão a planear engravidar o ideal será começarem a preparar-se também fisicamente. Tentem estar na vossa melhor forma física de sempre: abdominais fortes irão ajudar a suportar o peso da barriga e recuperar mais rapidamente depois do parto, costas fortes ajudam a manter a postura e suportar o peso, pernas fortes ajudam a ter menos dificuldade em caminhar, e por aí em diante, além de que tornam a recuperação pós-parto mais fácil e ajudam o corpo a não se tornar demasiado fraco muscularmente durante os meses de gravidez, onde o impacto do exercício é reduzido.
 
Cuidados cosméticos
 A querida Andreia, da EcoEscolhas, ajudou-me (a pedido meu, não de forma patrocinada/publicitária) a elaborar uma lista dos ingredientes mais perigosos para as futuras mamãs e os seus bebés: "O que a mamã coloca na pele é absorvido e muitos destes químicos passam para o bebé, por isso nunca é demais ter algum cuidado com o que se coloca na pele.". A Andreia recomenda "Usar um creme anti-estrias livre de químicos e preferencialmente de ingredientes derivados de petróleo como a parafina ou os óleos minerais. Não usar tinta no cabelo, ou tentar usar tintas naturais (a henna é a mais natural) e tentar usar verniz livre dos químicos mais perigosos, assim como as lacas do cabelo.". Assim, os ingredientes mais perigosos a evitar são:
- Parabenos: é um disruptor hormonal e para além das ligações ao desenvolvimento de tumores, algumas pesquisas começam a mostrar ligações a defeitos no desenvolvimento do sistema reprodutor masculino.
- Retinol A ou Retinyl Palmitate: uma forma de vitamina A, muito usado nos cremes anti-rugas e alguns cremes para o acne. Aconselha-se a evitar pois alguns estudos indicam que altas doses de vitamina A podem prejudicar o feto.
- Ftalatos (mais comum encontrar como DBP ou Dibutyl phtalate):  muito comum no verniz e pode fazer parte da fragrância do produto e assim não estar listado na lista de ingredientes. Mais comum em verniz, desodorizante, laca de cabelo e perfume.
 
O que a mamã coloca na pele é absorvido pelo bebé e pode ser, depois, encontrado no sangue do bebé. Está também a ser estudada a possibilidade de a presença destes químicos afectarem o desenvolvimento e aprendizagem das futuras crianças. Para além dos produtos usados pela mãe, é também necessário ter em atenção os produtos utilizados depois pelas crianças, já que também estes podem conter químicos. Assim, eu recomendaria o uso de produtos orgânicos/biológicos, provenientes de lojas de confiança, onde os proprietários se preocupem em realmente escolher os produtos que contêm os melhores ingredientes e estão livres dos mais perigosos. Na EcoEscolhas encontram uma grande selecção para mamã e bebé, que podem consultar aqui. Acreditem, os químicos são um perigo real e podem ver vários vídeos sobre esta temática aqui.

Especial em Forma #31 - Exercício eficaz sem ginásio

Vários já foram os posts que fiz sobre exercício em casa, de forma a evitar gastar dinheiro em ginásios. No entanto, o último que fiz foi já há algum tempo, pelo que decidi publicar algo mais actual. O exercício é parte essencial de uma vida saudável, é ele que vai permitir que as calorias extra sejam queimadas, que os músculos se mantenham saudáveis e definidos e que nós tenhamos capacidade para executar as tarefas do dia-a-dia. Quando se tem uma vida sedentária tarefas básicas do dia-a-dia, como carregar as compras ou subir umas escadas, podem ser um verdadeiro desafio. Há dois mitos sobre a prática desportiva que é necessário esclarecer: não é preciso ir a um ginásio ou ter muitas horas disponíveis por dia para praticar exercício e não é por praticarmos exercício regularmente que vamos ficar com músculos enormes. As mulheres têm pouca predisposição genética para desenvolver muita massa muscular, sendo precisas várias horas de exercício por dia e uma dieta hiper proteica para que tal aconteça.
Em relação à prática de exercício em casa, muitas pessoas se perguntam se será realmente eficaz. O exercício é sempre eficaz, desde que seja feito de forma rigorosa. Abaixo vou-vos deixar algumas sugestões de exercícios que podem fazer em casa. Ao início (principalmente se não estiverem habituadas) vai ser difícil, mas o importante é que se esforcem. A princípio podem fazer os exercícios mais devagar, mas façam todas as repetições e façam os movimentos como mostrado nos vídeos, tendo em conta o posicionamento do corpo, de forma a evitarem lesões. Com a prática regular a forma física vai melhorando e farão mais facilmente cada exercício. O exercício só está a funcionar se sentirem a tensão na zona muscular que estão a trabalhar.
Para além do exercício diário que podem incluir no vosso dia-a-dia, como andar a pé, subir escadas (etc), devem fazer um plano de exercício regular. Este plano deve conter exercício cardiovascular (como corrida, escadas, bicicleta, caminhadas, etc), que irá queimar a gordura, e exercício localizado, que irá definir e tonificar os músculos. Depois é ainda importante não esquecer os alongamentos, no final de cada treino. Podem também dedicar um dia da semana só para alongamentos, de forma a que o corpo possa repousar uma vez por semana.
É bom fazer primeiro os exercícios tonificantes e depois os cardiovasculares, de forma a promover o gasto de gordura armazenada (podem ser mais sobre este tópico aqui). 15 minutos de exercício cardiovascular por dia serão suficientes, mas devem dar tudo por tudo nesses 15 minutos (como diz a frase da 1ª imagem, "A tua mente desiste antes de as tuas pernas desistirem"). Deixo-vos agora os vídeos de exercício que mais gosto, das meninas do Tone It Up:
Abdominais:
Braços:
Pernas:
Alongamentos:
E para quem não tem tempo e quer um exercício de meia hora que contenha todos os componentes:
Não se esqueçam de que vocês comandam o vosso corpo, só vocês podem decidir como o tratar e o que fazer por ele. Fazer exercício custa, mas não sermos saudáveis ou termos um corpo de que não gostamos dói muito mais. Os resultados não serão visíveis do dia para a noite, mas aparecem com esforço e serão muito gratificantes.

Especial em Forma #22 - O que é ser obeso?

Recentemente surgiu no Facebook do Blog uma pequena troca de ideias acerca da obesidade e notei que é uma questão que é necessário esclarecer, uma vez que pode haver muita gente a sofrer de obesidade sem ter noção disso. Muitas pessoas com obesidade continuam a encontrar roupa nas lojas de comércio normal (exemplos para nós: Bershka, Pull and Bear, Zara, etc) e conseguem levar uma vida normal, sem grandes restrições em termos de mobilidade. Calcula-se, por exemplo, que 49% dos Brasileiros e 52% dos Portugueses sejam obesos, o que nós não pensariamos de antemão.
No senso comum, quando pensamos em obesidade pensamos em pessoas com um excesso de peso gravíssimo (mais 40,50,100 quilos do que o que lhes seria recomendado), ou seja, associamos obesidade a pessoas muito gordas. No entanto, uma pessoa com 70kg pode sofrer de obesidade, dependendo da sua altura e estrutura óssea. Assim, é importante esclarecer o que é a obesidade.
A obesidade é um estado de saúde (doença) onde a reserva natural de gordura aumenta até ao ponto em que passa a estar associada a certos problemas de saúde ou ao aumento da taxa de mortalidade. Ser obeso não é, obrigatoriamente, ser muito gordo, mas sim ter uma reserva de gordura superior ao recomendado. Apesar de se tratar de uma condição clínica individual, é vista cada vez mais como um sério e crescente problema de saúde pública: o excesso de peso predispõe o organismo a uma série de doenças, em particular doença cardiovascular, diabetes tipo 2, apneia do sono e osteoartrite.
 
Como sei se sou obeso?
Para se saber em que estado a pessoa se encontra, recorre-se geralmente ao IMC ou à percentagem de gordura corporal. Segundo a tabela do IMC, uma pessoa com IMC acima de 30 é considerada obesa. Segundo a percentagem de gordura corporal, um homem com gordura corporal superior a 25% do seu peso total e uma mulher com gordura corporal superior a 30% do seu peso total são considerados obesos.
---> Através do IMC
Para calcular o IMC deve-se dividir o peso pelo quadrado da altura. Exemplo: Uma pessoa com 1,60m e 60kg tem um IMC de 23,44. Modo de calcular: 60/(1.6*1.6) = 60/2,56 = 23,4375.
Para terem uma ideia a partir de que peso, segundo o IMC, se é considerado obeso, fiz uma pequena tabela para diferentes alturas:
Como conseguem ver pela tabela acima, não é preciso ter um peso exorbitante para se ser considerado obeso, daí que é necessário termos em atenção ao que a palavra obeso realmente significa e não a atribuírmos apenas a pessoas com obesidade severa. Alguém ser obeso não é uma ofensa, é um estado de saúde, e é assim mesmo que deve ser encarado.
--> Através da medição da Gordura Corporal (IMG)
Os atletas e pessoas com elevada massa muscular apresentam um IMC mais elevado pela massa muscular, que é mais pesada que a massa gorda. Desta forma duas pessoas podem ter o mesmo IMC, mas uma quantidade diferente de gordura corporal. Daí que as tabelas mostradas acima não sejam válidas para atletas.
Médicos e cientistas em geral concordam que homens com mais de 25% de gordura e mulheres com mais de 30% de gordura são obesos. Porém, é difícil medir a gordura corporal com precisão, sendo o método mais utilizado o Teste da Dobra, onde um pedaço de pele do braço, abdómen ou perna (geralmente abdómen) é pinçado e medido para determinar a grossura da camada de gordura subcutânea. Muitas de vocês já devem ter feito este teste numa aula de Ed.Física, por exemplo. Por este teste ser mais complexo, o IMC é o método mais utilizado.
 
Porque é que sou obeso?
A obesidade pode dever-se, essencialmente, a:
- Estilo de vida: alimentação incorrecta e falta de exercício;
- Genética: polimorfismos em diversos genes que controlam apetite e metabolismo predispõem à obesidade, mas a condição requer a disponibilidade de calorias em quantidade suficiente para se desenvolver plenamente;
- Doença: determinadas doenças físicas e mentais e algumas substâncias farmacêuticas podem predispor à obesidade;
- Bactérias: bactérias que favorecem a digestão também poderiam fazer o corpo acumular quilos a mais, caso não estejam devidamente equilibradas.
 
Como tratar a obesidade?
O primeiro caminho a seguir para tratar a obesidade é seguir uma alimentação regrada e a prática de exercício físico regular. Em alguns casos podem ser fornecidos suplementos alimentares (nomedamente medicamentos) para favorrecer a perda de peso e em casos excepcionais de IMC superior a 40, onde os resultados esperados não foram conseguidos com a ajuda da alimentação, exercício e medicação, pode ser colocada uma banda gástrica.
O mais importante num caso de obesidade não é adoptar uma dieta para a pessoa ficar magra e esbelta, o mais importante é que a pessoa entre num peso saudável, que não seja prejudicial à sua saúde. Existem espalhados pelo mundo imensos casos de sucesso, alguns onde as pessoas ficaram com um corpo de sonho, outros onde as pessoas ficaram com o peso saudável, que é o mais importante.

A Blogger

Cláudia, estudante de dia e blogger de noite! Bem-vinda(o) ao meu cantinho!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pinterest

YouTube

Instagram

@claudiagusmao

Facebook